Segunda-feira, 26 de junho de 2017
Fale conosco
Nº 195 - Novembro 2016
Boletim Eletrônico do CONFEF
Encontro de Coordenadores discute mudanças nas graduações em Educação Física

O CREF9/PR, em parceria com o CONFEF, promoveu o Encontro de Coordenadores de Cursos de Educação Física do Paraná. O evento, realizado no dia 25/11, em Curitiba, reuniu 28 coordenadores de todo Paraná para discutir a renovação das Diretrizes Curriculares das Graduações em Educação Física.

Durante o encontro, aconteceu uma audiência com o membro da Câmara de Ensino Superior do Conselho Nacional de Educação (CNE), Luiz Roberto Curi, o Professor da Escola de Educação Física e Esportes da Universidade de São Paulo (USP), Dr. Go Tani, a Professora da Escola de Educação Física da Universidade Estadual de Londrina, Ângela Palma [CREF 003174-G/PR], e a Conselheira Federal de Educação Física, Iguatemy Martins [CREF 000001-G/PB]. Participaram também do evento o Presidente do CONFEF, Jorge Steinhilber [CREF 000002-G/RJ], o Presidente do CREF9/PR, Antônio Eduardo Branco [CREF 000009-G/PR], os Conselheiros Federais Sebastião Gobbi [CREF 000183-G/SP], João Batista Andreotti Gomes Tojal [CREF 000003-G/SP] além de Conselheiros e Delegados do Conselho Regional.

Entre os conteúdos discutidos na audiência estavam os desafios da Educação Física e seu papel atual. Para Luiz Curi, o papel da Escola de Educação Física é formar profissionais preparados para atuar atendendo os anseios da sociedade. “O Profissional de Educação Física hoje engrandece a profissão, os cursos de uma maneira geral são muito bons. O que nós temos agora é que aperfeiçoar para não perder em qualidade. Se a gente não tiver a capacidade de aperfeiçoamento e de olhar os novos desafios que a profissão e o ensino têm, nós estaremos andando para trás”, explica.

As propostas discutidas no Encontro de Coordenadores de Cursos de Educação Física do Paraná serão encaminhadas para discussão no CNE e devem ser aprovadas pelo MEC para serem validadas.

Fonte: CREF9/PR

Justiça decide sobre o campo de atuação de licenciados

O Profissional com Licenciatura em Educação Física está habilitado a exercer suas atividades na educação básica, sendo-lhe vedado atuar em outras áreas reservadas aos que fazem o curso regular de graduação (bacharelado). O entendimento é do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF1 – Brasília).

Não há direito do graduado em curso de Licenciatura para a Educação Básica em obter o registro perante o CREF13/BA-SE para atuar na área não escolar (como academias, clubes, parques, entre outros), tendo em vista as diferenças substanciais relativamente à duração e à carga horária mínima exigida, bem como ao conteúdo curricular especificamente direcionado aos cursos de Bacharelado e de Licenciatura.

De acordo com as Diretrizes Curriculares Nacionais para os cursos de Educação Física, o curso de licenciatura em Educação Física passou a formar Profissionais exclusivamente para a Educação Básica, ou seja, para atuar nas escolas de Educação Infantil e do Ensino Fundamental e Médio, bem como para desempenhar atividades de planejamento, coordenação e supervisão de atividades pedagógicas do sistema formal de ensino.

Desta forma, o Profissional licenciado que desejar atuar fora do ambiente escolar, deverá cursar o Bacharelado em Educação Física. O licenciado poderá também atuar em pesquisas relacionadas ao ensino e suas interfaces com outras áreas de estudo. Entretanto, os licenciados não podem atuar em academias, clubes e outros espaços não escolares. Leia a ementa através do link.

Fonte: CREF13/BA-SE

Boletim Eletrônico CONFEF
CREF16/RN fiscaliza Jogos Escolares do Rio Grande do Norte

O CREF16/RN realizou no período dos Jogos Escolares do Rio Grande do Norte (JERNS) fiscalização, por amostragem, em todas as modalidades. Das 26 abordagens feitas pelo Agente de Orientação e Fiscalização, não foram encontradas ilegalidades que comprometessem o andamento da competição. Foram detectadas apenas irregularidades como Cédulas de Identidade vencidas e profissionais inadimplentes. Estes foram orientados a procurar o CREF para resolução destes problemas.

“Há três anos venho realizando esse trabalho e graças a cultura da legalidade podemos ver que tudo está dentro das normas apresentadas pelo Conselho Federal”, avalia Luiz Marcos [CREF 000306-G/RN], fiscal do órgão.

Para Roberta Dantas [CREF 000822-G/RN], professora de Ginástica Artística, o papel do Conselho é fundamental. “Se o Conselho existe ele precisa fazer jus ao seu papel, como podemos constatar nessas fiscalizações ocorridas no período dos jogos escolares. E acima de tudo, só o profissional capacitado sabe e pode responder pelo seu aluno, zelando pela sua integridade física”.

Para o Presidente do CREF16/RN, Francisco Borges de Araújo [CREF 001001-G/RN], o balanço da fiscalização foi positivo. “É um trabalho que vem sendo intensificado ao longo dos anos. O cumprimento da legislação gera um ambiente de segurança para os alunos, sobretudo para os pais que confiam seus filhos a estes Professores que respondem com o compromisso de cuidar antes mesmo de competir”, finalizou Borges.

 

Fonte: CREF16/RN

CREF6/MG participa do 4º Congresso Mineiro de Medicina do Exercício e do Esporte

Com o intuito de reunir as diferentes áreas de conhecimento da saúde, por meio das discussões que integram a Ciência do Esporte, foi realizado, em novembro, na sede da Associação Médica de Minas Gerais, o 4º Congresso Mineiro de Medicina do Exercício e do Esporte. O CREF6/MG foi um dos parceiros da Sociedade Mineira de Medicina do Exercício e do Esporte (SMEXE) na realização do evento.

“Esse convite ao CREF6/MG segue uma filosofia das Ciências do Esporte que é a fundamental importância de cada uma das profissões da área de saúde e afins para promover um espaço de discussão. Nós, da Medicina Esportiva, temos a consciência de que nenhuma profissão pode ser substituída nesse espaço”, declarou o Presidente da SMEXE Dr. Sílvio Musman.

A Diretora do CREF6/MG, Anísia Sudário Daniel [CREF 000028-G/MG], integrou a mesa da cerimônia de abertura e destacou a importância do trabalho multiprofissional para saúde e bem-estar da sociedade. “Quando se investe mais em prevenção, se gasta pouco ou nada com políticas curativas. Importantíssimas a promoção e abertura que a Sociedade Mineira de Medicina do Exercício e do Esporte e a Associação Médica de Minas Gerais dão às outras profissões para que os avanços científicos da Medicina esportiva sejam discutidos e cheguem à população”.

 

 

Fonte: CREF6/MG

Ciclo de Capacitação Profissional do CREF12/PE-AL reúne estudantes e Profissionais de Educação Física

O II Ciclo de Capacitação Profissional do CREF12/PE-AL, realizado em 19/11, reuniu 140 profissionais e estudantes de Educação Física, que dedicaram o dia para adquirir novos conhecimentos e aprimorar o currículo profissional.

O evento, que ocorreu na Faculdade Boa Viagem (FBV), no Recife, ofereceu ao público cinco minicursos, com carga horária de 8h. Foram eles: Musculação Aspectos Teóricos e Práticos, com o Prof. Esp. Magno Galvão [CREF 001691-G/PE]; Treinamento Funcional, com o Prof. Esp. Denis Foster [CREF 002535-G/PE]; Anabolizantes no esporte e no exercício: Aplicações e Implicações, com Prof. Dr. Azenildo Moura [CREF 001038-G/PE]; Educação Física Escolar: Vamos Jogar?, com o Prof. Esp. Fabiano Souza “Chokito”[CREF 000173-G/PE] e Fisiologia Geral, com o Prof. Me. Cláudio Castro [CREF 000194-G/PE].

Após o encerramento da abertura, o público pôde seguir para as salas de aula onde ocorreram os cursos. No período da tarde, foram sorteados entre os participantes brindes doados pela FBV e pela Qualicorp, parceiros na realização do evento, além de livros publicados pelo Sistema CONFEF/CREFs.

Em 2017, o Conselho realizará novas edições do Ciclo de Capacitação Profissional. Quando definidos, as datas e os temas serão divulgados em www.cref12.org.br .

Fonte: CREF12/PE-AL

TRF decide a favor de fiscalização da Zumba Fitness

Em Brasília, o Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF-1) decidiu a favor do CREF7/DF em ação ajuizada por uma academia que oferecia aulas de Zumba Fitness sem a orientação de um Profissional de Educação Física. O estabelecimento foi multado pelo CREF por permitir leigo atuando como profissional e decidiu recorrer na justiça.

A decisão do TRF-1, no entanto, concluiu que a Zumba Fitness se trata de um treinamento físico que consiste em exercícios físicos praticados em forma de coreografia, mas com o objetivo claro de proporcionar condicionamento físico. Dessa forma, entendeu que não há ilegalidade no fato do Conselho Regional de Educação Física adotar medidas que visem evitar que uma modalidade de atividade física seja ministrada sem fiscalização.

Fonte: CREF7/DF

Boletim Eletrônico CONFEF
Atenção:
O Conselho Federal de Educação Física - CONFEF
não envia mensagens eletrônicas não autorizadas, sendo terminantemente contra qualquer prática de Spam.