Sábado, 29 de abril de 2017
Fale conosco
Nº 55 - Outubro 2010

CONFEF participa de eventos pelo Brasil
No final do mês de setembro, o Conselho Federal de Educação Física (CONFEF), representado pelo vice-presidente Prof. João Batista Tojal, marcou presença em três importantes encontros em São Paulo e no Mato Grosso do Sul.

Organizado pelo CREF4/SP, no dia 24 aconteceu o I Fórum Paulista de Sustentabilidade da Educação Física e do Esporte na Escola, no auditório da Unoeste de Presidente Prudente. Três dias depois foi a vez do município de Sorocaba sediar o fórum, no Teatro Municipal Teotonio Vilela. Voltado para acadêmicos e profissionais de Educação Física, o evento foi realizado em outros dez municípios do Estado de São Paulo.

Na ocasião, o vice-presidente do CONFEF apresentou elementos que contribuíram diretamente para a análise e discussão da Educação Física Escolar. “Dentre as diferentes linguagens que o aluno adquire durante a trajetória escolar, a Educação Física deve ser considerada importante para a formação, pois o esporte tem que ser usado como meio, e não fim, além de aumentar a autoestima e facilitar o convívio social”, explicou.

Em Campo Grande, Mato Grosso do Sul, o CREF11/MS-MT, em parceria com a Ordem dos Advogados do Brasil de MS (OAB/MS) e os Conselhos Regionais de Medicina e Psicologia (CRM/MS e CRP/MS), realizou uma mesa-redonda no dia 22 de setembro para falar sobre a "Ética Profissional: Obrigação ou Opção?". E, mais uma vez, o CONFEF foi representado pelo vice-presidente Prof. João Batista Tojal.

“(A ética) é um assunto que deve ser discutido em todos os Conselhos. Muito melhor que as aulas de ética dentro da sala de aula é o procedimento, receber e construir seu comportamento”.

Parabéns ao CREF11/MS-MT e CREF4/SP pelas iniciativas!
CREFs promovem fiscalizações
Por todo o Brasil, os Conselhos Regionais de Educação Física (CREFs) vêm promovendo fiscalizações em academias, clubes e demais estabelecimentos que ofereçam serviços em exercícios físicos e esportivos. Em 25 de setembro, o respeitado veículo “Diário de Pernambuco” noticiou o aumento dos registros de pessoas físicas e jurídicas junto ao CREF12/PE-AL. Segundo o jornal, isso se deve ao fato de que “o aperto na fiscalização a academias irregulares e a profissionais exercendo ilegalmente a profissão vem funcionando”. Uma prova de reconhecimento da população local ao importante trabalho realizado pelo CREF12/PE-AL.

Na semana de 13 a 17 de setembro, agentes de fiscalização do CREF1/RS-ES estiveram na Região Sul Fluminense promovendo ações nos municípios de Valença, Vassouras, Rio das Flores, Paraíba do Sul, Três Rios, Areal, Levy Gasparian e Sapucaia. Foram visitados 56 estabelecimentos prestadores de serviços em atividade física. Três pessoas foram flagradas no exercício ilegal da profissão e 29 estabelecimentos autuados por ausência de registro junto ao Conselho. No Espírito Santo, o CREF1/RJ-ES também realizou ações de fiscalização nos municípios de Iuna, Ibatiba, Irupi, Guaçui, Alegre e Castelo.

Em São Paulo, o departamento de Fiscalização do CREF4/SP notificou, através de ofício, a Prefeitura de São Bernardo do Campo por não exigir em seu edital de concurso público o registro do candidato no Sistema CONFEF/CREFs – condição legal necessária para o profissional atuar na área. A prefeitura se manifestou informando sobre o aditamento do edital, bem como sua retificação, tomando as providências cabíveis e devida publicação em seu portal eletrônico.

Faça também a sua parte! Procure o CREF da sua região e denuncie profissionais que insistem em exercer ilegal ou irregularmente a profissão ou estabelecimentos que não zelem pela saúde dos seus clientes. Somente com a ajuda e participação de todos podemos lutar pela qualidade de vida da população e, consequentemente, pela valorização dos serviços prestados pelos profissionais de Educação Física. Denuncie!

Fontes: Portais do CREF1/RJ-ES e CREF4/SP / Diário de Pernambuco
Equipamentos ‘nada sarados’ nas academias
Pesquisa desenvolvida no Centro Integrado de Diagnóstico da Universidade Gama Filho (UGF) em estabelecimentos das zonas Norte e Oeste do Rio alerta para a presença de micróbios nos aparelhos destinados aos exercícios físicos. Após coleta de 27 amostras em colchonetes, selins de bicicletas e outros equipamentos, o estudo coordenado pelos pesquisadores João Carlos Tórtora e Adriana Pereira detectou a existência de indicadores de contaminação em 44,4% das análises. Fungos, vírus e bactérias – como coliformes fecais – foram encontrados em grandes concentrações em alguns equipamentos. “Chegamos a diagnosticar mais de 1.600 micro-organismos por cm² em alguns selins”, revela João Carlos, lembrando que a concentração de 100 bactérias ou fungos por cm² já é considerada carga microbiana excessivamente alta.

O ambiente normalmente fechado das academias e o suor proveniente da atividade física colaboram para a proliferação dos micro-organismos. “O ideal é que cada um tenha um colchonete, uma capa de selim e ainda tome banho antes e depois das atividades. Os equipamentos também precisam ser limpos com hipoclorito de sódio (água sanitária) ou álcool a cada utilização”, alerta o pesquisador.

Conjuntivite, infecções intestinais, faringite, micoses e piodermites (furúnculos) são algumas das infecções que podem ser contraídas pelo contato. Nas academias da cidade, não é raro encontrar quem já tenha passado pela experiência desagradável. “Sempre fui adepta de esportes. Antes de me formar Profissional de Educação Física, passei por vários lugares e, em muitos, a limpeza não era a ideal. Cheguei a contrair micose nas costas e na barriga após aulas de abdominais sobre colchonetes”, revela uma das sócias da Academia Flex Gym, na Tijuca, Prof. Débora Ribas (CREF 016358-G/RJ).

Clique AQUI e confira a matéria na íntegra.

Fonte: O Dia (RJ)
Agradecimentos
O CONFEF agradece aos profissionais de Educação Física Profs. Igor Armbrust (CREF 049113-G/SP) e Alex de Lima (CREF 008868-G/RJ) pela doação dos livros “Pedagogia da Aventura – Os Esportes Radicais, de Aventura e de Ação na Escola” e “Educação Física – Questões com Gabarito Comentado”, respectivamente, à nossa biblioteca.

“Pedagogia da Aventura” é resultado de um trabalho de profissionais de Educação Física sobre a temática dos esportes radicais, que tem crescido significativamente, mas, segundo o autor, ainda não aparece nos debates da área, encontrando certas restrições a suas acessibilidades no contexto escolar. “Vejo que este é o momento de diálogo com a expansão disciplinar para os temas emergentes da educação inter e transdisciplinar”, explica o Prof. Armbrust.

Já o segundo livro, recomendado a todos “concurseiros” espalhados pelo Brasil, visa ao preparo de professores e estudantes de Educação Física para a aprovação nos diversos concursos oferecidos pelo setor público. “Trata-se de um modelo inovador nos materiais de apoio ao candidato”, afirma o Prof. Alex de Lima sobre o livro, que possui 400 questões de provas de concursos de diversas regiões do país, com gabarito comentado.

Contatos:
Prof. Igor Armbrust – arm.igor@ig.com.br
Prof. Alex de Lima – alextrainer@ig.com.br