Sexta-feira, 23 de junho de 2017
Fale conosco
Nº 59 - Dezembro 2010

Um guia para o Profissional de Educação Física na Saúde
A atuação do Profissional de Educação Física na área da Saúde – especialmente em hospitais, clínicas, unidades de saúde, nos NASFs etc. – vem crescendo e ganhando destaque a cada ano. Preocupado com a qualidade da intervenção, o CONFEF lançou recentemente o livro "Recomendações sobre Condutas e Procedimentos do Profissional de Educação Física na Atenção Básica à Saúde".

O objetivo do material, organizado pelo Prof. Francisco Martins da Silva (CREF 000009-G/PB), é orientar o Profissional de Educação Física no que diz respeito à intervenção na área da Saúde. Desta forma, busca-se proporcionar uma direção aos profissionais quanto à utilização da sua principal ferramenta, o exercício físico, para atuar tanto na prevenção, quanto no tratamento não-farmacológico de doenças crônicas.

O reconhecimento pelo Conselho Nacional de Saúde, através da Resolução nº 218/1997, do Profissional de Educação Física como profissional de saúde e a inclusão deste nos Núcleos de Apoio à Saúde da Família (NASF) são exemplos claros da importância que temos assumido ao longo de anos frente à maior necessidade da sociedade: o combate ao sedentarismo.

CliqueAQUI para fazer o download do livro.

Fonte: Portal CONFEF
Mulheres sauditas lutam por direito de praticar esportes
Depois que a saudita Dalma Malhas, 18 anos, ganhou uma medalha de bronze nos saltos de obstáculos nos primeiros Jogos Olímpicos da Juventude em Cingapura, em agosto, ela foi usada como exemplo por Jacques Rogge, presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI), em uma coletiva de imprensa na conclusão do evento.

"Esta é certamente a primeira vez que uma mulher saudita está participando de um evento internacional e já ganhou uma medalha", disse Rogge. A conquista de Malhas, ele disse, deixou o COI "absolutamente feliz".

A reação no país conservador muçulmano de Malhas – onde a prática de esportes por mulheres é algo visto como indecente e, até mesmo, imoral por alguns – tem sido muito mais complicada.

A atividade física de qualquer tipo é proibida nas escolas estaduais da Arábia Saudita para as meninas. Apesar de academias para mulheres existirem em grandes cidades sauditas, elas geralmente não tem placas, para que suas clientes não precisam temer atrair a atenção.

A Arábia Saudita não permite que mulheres representem a nação em competições internacionais de atletismo e é um dos três únicos países que ainda não enviam mulheres aos Jogos Olímpicos (ao lado de Catar e Brunei). Apesar de a Arábia Saudita ter enviado uma delegação oficial de atletas do sexo masculino aos Jogos Olímpicos da Juventude, Malhas – filha da famosa saltadora Arwa Mutabagani – teve de entrar no campeonato por conta e despesa própria.

Clique AQUI e confira a matéria na íntegra.

Fonte: Portal IG
Exercícios podem reduzir risco de câncer
Mais uma boa notícia para quem pratica atividades físicas – ou um estímulo para quem quer começar. Um estudo observou que mulheres que se exercitaram por, pelo menos, 150 minutos por semana apresentaram risco reduzido de desenvolvimento de câncer de endométrio – tumor maligno mais comum nos órgãos genitais femininos.

A pesquisa, feita na Escola Yale de Saúde Pública, nos Estados Unidos, foi apresentada na Conferência de Pesquisa para Prevenção do Câncer da Associação Norte-Americana de Pesquisa sobre o Câncer, na Filadélfia.

O menor risco foi verificado tanto para mulheres com peso normal como com sobrepeso ou obesas. "O estudo é consistente com trabalhos anteriores que fortemente apoiam a associação entre atividade física e menor incidência de câncer de endométrio", disse Hannah Arem, um dos autores do estudo.

Clique AQUI e confira a matéria na íntegra.

Fonte: FAPESP
NOTA TÉCNICA N° 003/2010 – CGOC/DESUP/SESu/MEC
Com o objetivo de esclarecer toda e qualquer dúvida quanto à questão das áreas de formação em Educação Física, o Ministério da Educação (ME) emitiu uma Nota Técnica destacando as Resoluções do Conselho Nacional de Educação (CNE), que resultaram nos dois cursos de formação – o de licenciatura e de bacharelado.

Logicamente, o Sistema CONFEF/CREFs, baseado nos conhecimentos adquiridos em cada curso, irá registrar os egressos nas respectivas áreas, visando a garantir a qualidade e a segurança dos serviços prestados.

Assim, publicamos no Portal CONFEF a íntegra da Nota Técnica para que os estudantes possam identificar claramente se o seu interesse de intervenção profissional está compatível com o curso escolhido.

Clique AQUI para fazer o download na Nota Técnica.